Quarta-feira, 17 de Maio de 2006

O lugar da Igreja

Alegre e Amaral quiseram Igreja à frente de ministros


    Na sessão legislativa 98/99, Manuel Alegre e Mota Amaral apresentaram o projecto n.º 630/VII, intitulado "Regras Protocolares do Cerimonial do Estado português".
    No texto, que nunca chegou a ser aprovado, os dois deputados ordenavam as várias precedências das entidades do Estado português no protocolo e o lugar reservado aos representantes da Igreja Católico era superior ao destinado aos ministros do Governo.
    "Quando presentes em cerimónias oficiais, as entidades eclesiásticas, não podendo ser-lhes reservado lugar à parte, recebem o tratamento correspondente à entidade civil com competência territorial homóloga."
    "O patriarca de Lisboa, bem como os cardeais, o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa e o núncio apostólico têm tratamento protocolar equivalente ao dos ministros e precedência face a estes"
    Hoje, Manuel Alegre defende a aprovação da lei que afasta a Igreja do protocolo de Estado, considerando que "o protocolo deve estar de acordo com a Constituição e com a Lei da Liberdade Religiosa"..

COMENTÁRIO :    Aí está, o deputado poeta, a mudar mais uma vez de opinião... Neste caso saúdo-o, pois de uma vez por todas, que se acabe com a vassalagem e o favoritismo hipócrita a uma Igreja retrógrada, intolerante,  egocentrista  e perigosa.
publicado por ummundomelhor às 22:42
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Aristides a 18 de Maio de 2006 às 10:14
Não há a mínima razão, num Estado laico, para o lugar de destaque dado a uma igreja. Senão tínhamos de questionar, porque não a IURD, ou a igreja protestante, etc, etc?
De Helena a 18 de Maio de 2006 às 10:54
Subscrevo inteiramente o comentário do Ti . Aquele idiota que ontem dizia que a presença da igreja tinha a ver com a identidade de Portugal deve viver com certeza num Portugal dos pequeninos !
De Tibério a 18 de Maio de 2006 às 12:07
Concordo plenamente com o Tí e a Lena....a igreja que cuide do seu património, que é muito e belo, e que se deixe de andar sempre a explorar o zé povinho para as obraszinhas.

Cumprimentos
Tibério
De Helena a 19 de Maio de 2006 às 00:03
Eu ainda gostava de saber como é que o padre de Almeida (o anterior) soube a minha morada para me escrever a pedir dinheiro ...Praça Alta ,terá sido ?
De Armindo a 20 de Maio de 2006 às 10:34
Lena, eu juro que não fui. Ainda por cima ao padre anterior, porra!!!
De PALANCA a 18 de Maio de 2006 às 20:23
Ora até que emfim temos um tema, em que geramos uma unanimidade de pensamento( se bem que não goste de unanimidades). Não é possivel, num estado LAICO, o tratamento dispensado às autoridades eclesiasticas, equiparadas aos mais altos cargos da NAÇÃO, eleitas por vontade popular. alma até Almeida carroceiros sempre um abraço.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Vergonha

. Exemplo

. Cartão amarelo às regras ...

. Faça-se Justiça

. Heroi Eterno

. Hasta la vitória, siempre

. Carta de Che a Fidel

. Mundial Alemanha 2006

. A resposta

. Contra Guantánamo, contra...

.arquivos

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.favorito

. Pensamento do Dia

. O Hino

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds